Doce Luar

Versos e mensagens, minhas ou de outrém...



Aceitei o desafio de : Coisas (in)significantes, e decidi utilizar o mês para postar as músicas correspondentes:

dia 01 - a tua canção favorita
dia 02 - a tua canção menos favorita
dia 03 - uma canção que te faz feliz
dia 04 - uma canção que te deixa triste
dia 05 - uma canção que te lembra alguém
dia 06 - uma canção que te lembra algum lugar
dia 07 - uma canção que lembra um determinado evento
dia 08 - uma canção que você sabe que todas as palavras
dia 09 - uma canção que te fez dançar
dia 10 - uma canção que te dá sono
dia 11 - uma canção da tua banda favorita
dia 12 - uma canção de uma banda que odeias
dia 13 - uma canção que define o teu dia de hoje
dia 14 - uma canção que ninguém espera que tu adores
dia 15 - uma canção que descreve você
dia 16 - uma canção que usaste para o teu amor, mas agora odeias
dia 17 - uma canção que ouve muitas vezes na rádio
dia 18 - uma canção que você gostaria de ouvir no rádio
dia 19 - uma canção do seu álbum favorito
dia 20 - uma música que escutas quando está zangado
dia 21 - uma canção que ouves quando estás feliz
dia 22 - uma canção que ouves quando estás triste
dia 23 - uma canção que queres ouvir no teu casamento
dia 24 - uma canção que queres ouvir no teu funeral
dia 25 - uma canção que te faz rir
dia 26 - uma canção que podes tocar num instrumento
dia 27 - uma canção que gostavas de conseguir tocar
dia 28 - uma canção que te faz sentir culpado
dia 29 - uma canção da tua infância
dia 30 - a sua canção favorita do ano passado





Topas o desafio?






-










O meu começo amanhã, rs


_ Oi.
_ Oi.
_ Posso sentar aqui?
_ A praça não é minha. A vida é tua.
(Ele se senta.)
_ Dia difícil, é?
_ Talvez.
 _ Como?
_  Talvez.
_  Não. Digo, como assim talvez?
_ Gosto dessa palavra. Uso quando não quero responder ao que perguntam.
 _ Ah.
(Ela deu um sorriso sarcástico.)
 _ Aposto que se eu fosse ele, sorriria pra mim.
 _ Ele quem?
_ O cara que você ama.
_ Não amo um cara.
_ Eu sei que ama. Eu te entendo.
_  Hum... Sofre também?
_ O quê?
_ Digo, sofre por amor também? Que nem eu?
 _ Não... Por amor não. Pela falta dele, talvez.
_ Talvez?
_ É,  gosto dessa palavra. Uso quando não quero aceitar os fatos. Aprendi com uma garota a uns minutos atrás. Ela têm um sorriso lindo.
_ Como sabe do sorriso dela? Ela nem sorriu.
_ Eu aposto nisso. Ela ainda vai sorrir pra mim.
_ Acho difícil, ela tá tendo um dia difícil.
_  Eu não.
_ Ah, então ela te desafia.
 _ E eu desafio ela a começar tudo de novo.
(Ela olha pra baixo.)
_ Oi, posso sentar aqui?
(Ela sorriu.)
_ Viu, eu disse!
_ O quê?
_ Que ela tinha um lindo sorriso.

- texto adaptado de Ivan F. Rodrigues-



“Você me provoca, você me perturba.
Joga água e sai correndo.
Atira a pedra e me acerta de raspão. 
Me espia no escuro e mostra a língua.
Me xinga.
Me atiça.
Invade o meu sossego.
Meu refúgio. 

Você me provoca achando que não há perigo. 
Sem conhecer a força da minha mordida, o tamanho dos caninos. 
Você me provoca sem esperar a picada. 
Sem saber que ainda não inventaram antídoto pro meu tipo de veneno.”












((Caio F. Abreu))


Eu hoje tive um pesadelo
E levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo
E procurei no escuro
Alguém com o seu carinho
E lembrei de um tempo

Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era ainda criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou consolo

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim
E que não tem fim

De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás


-Cazuza



Now I'm ready to close my eyes

And now I'm ready to close my mind

And now I'm ready to feel your hand

And lose my heart on the burning sands

[Iggy Pop]



De onde eu vim
Não tem mar
Onde eu vim parar?

Atraquei
Nesse cais
Por amor demais


[Malu Magalhães]

O sol lá fora, tão quente que queima...mas dentro, no refúgio das paredes, na privacidade de um quarto qualquer, dois corpos ardem, suor e suspiros, gozo e drama, e o suor, que banha a pele, refresca e cai...

A força vital, a vida que começa, o grito de dor, a dor mais querida, suor e sangue, uma mulher e seu dom, o filho da esperança, que rasga sua pele, que abre caminho aos brados, o sorriso brinca aos lábios da mãe, mesmo em sua dor, e o suor, que banha a pele, refresca e cai...

O calor insuportável, o reflexo dos carros, a cegueira momentânea, a tontura que logo passa, o menino segue em busca de uns trocados, " cinquenta centavos o saco de balinhas senhor, é pra ajudar minha mãe, ela é doente...", os olhares duros, os sorrisos forçados, as moedas tilintando pelo bolso, o calo no pé que incomoda, e o suor, que banha a pele, refresca e cai...

Ah, sede maldita! o sol fora da barraca é maligno, a sede incomoda, maldita hora em que a decisão de uma tarde na praia ocorrera! a água não lhe satisfaz, a areia incomoda, o burburinho das pessoas irrita, o olhar cega, a pele arde, e o suor, que banha a pele, refresca e cai...

Uma certeza, uma intenção, uma arma na mão, gatilho puxado, sem pensar duas vezes, o sol reflete no aço e o tiro ecoa: BANG! e o sangue, que corria nas veias, e aquilo que era vida, já não é mais, e não mais o suor banhará a pele,e nada mais que um corpo cai...


"É tão calmo por aqui quando eu me rendo às suas promessas..." [Capital Inicial]


E gosto de acreditar em você, confiar pra valer, sem ter medo de me machucar, e sentir, que mesmo que tudo dê errado, eu vivi esses momentos contigo...
Te ter comigo... como é bom pensar nisso, me traz uma paz, um sentimento bom, de estar segura, mesmo que às vezes tenha medo...
Esse meu jeito novo de ser, você tem parte nisso, me fez ver as coisas de um outro modo, dar uma chance à vida, à mim mesma, isso é tão bom, e eu não sabia...
O que passei pra chegar onde estou, o que você viveu para ser o que é, não deve ser esquecido, mas não precisa ser lembrado, vamos viver o agora, em plenitude, de verdade, por nós...
E cada momento é único, é especial, e tem uma tranquilidade, que nunca esperei alcançar e ao mesmo tempo um sabor de tempestade que nunca supus aguentar...
E os sorrisos? ah os sorrisos que me vêem quando estamos juntos, é uma alegria, um estar contente, sem precedentes, lembrar do seu sorriso sem jeito me faz sorrir do meu jeito, meio bobo que você conhece tão bem...
As conversas tão permeadas de ouvir, de compartilhar, de sorrir, acanhar, falar muito e então calar...elas me são tão caras!
E esse sabor de infinito, que mesmo que não se mostre real, me faz feliz pelo momento que durar, porque agora eu sei que é pra sempre, enquanto existirmos um para o outro.
E essas palavras? foi só um modo de dizer que te gosto assim, do jeito que você é pra mim...


****************


Já me questionei sobre o que ando a escrever, é que falo tanto de você e enfim, mas você agora é parte de mim e faz sentido que esteja em cada página impregnado, se já escrevi de dores, agora é hora de falar de  falar de você e do bem que me faz

Quem és tu que me lês? És o meu segredo ou sou eu o teu?

Clarice Lispector

Carinho

Carinho
da amiga Dandara

da amiga Srtª Bêêh

recebido da Joyce Kelly

da Joyce Kelly

Da Pat...

De A dangerous mind (1 dos 4)

de A Dangerous Mind e Somewere

de A Dangerous Mind

de A Dangerous Mind
Ocorreu um erro neste gadget

Por aqui ficaram:

Todos os textos aqui expostos e que não possuem assinatura são de autoria da proprietária do blog, os demais encontram-se devidamente referenciados. As imagens podem ser encontradas no google images. Por favor, não plagie, respeite os autores, crie suas próprias estórias. Obrigada pela visita, voltem sempre! bjus da kirah^^

hoje (clique vídeo)

hoje (clique vídeo)
Talvez eu já saiba a resposta...

Mo Foo