Doce Luar

Versos e mensagens, minhas ou de outrém...





Em meu coração o balanço acontece com suas poesias ameaçadoras
Como uma jóia mais radiante que a Lua você me apareceu

Em um castelo perto do mar, como uma criatura sublime dos Deuses
Enchendo e transformando tudo em fogo ao baixar a sua máscara
Não me apaixonar seria um completo erro
Me apaixonar seria a causa da minha morte...
Perfumadas e traiçoeiras fantasias eróticas

Me agarre na sangria do luar
Jóia mais sublime que a Lua... Que feitiço jogastes sobre mim?
Sua boca gelada ferve meu corpo

Ventos murmurantes movem as nuvens escuras para perto do luar
Ondas violentas estremecem a colina
Apenas a luz da Lua nos ilumina
Sons de violinos começam a nos acompanhar
Espantado e frágil, repleto de paixão, eu desejo você
A maldição da sua carícia

É infinitamente maior do que minha alma pode suportar
Como em estreito abismo carnal

desaparecendo estou...
Nuvens de tempestade, ventos sublimes

ondas violentas de prazer
Um coração gelado e inalcansável como o Universo
O seu gelo me queima mais que o fogo
Você é o grito, és o desespero, doce condessa da morte
Criatura viva, leve-me à sua punição
Dê-me o que jamais um ser humano teve
A visão do paraíso, onde fantasmas assombram
A visão do Limbo em ternura
Anjos negros ao debruçar-se à rosas brancas
Tudo o que tenho agora é a sombra da morte
Minha alma está em suas mãos
Como uma frágil pérola de papel
Me sinto intimado ao me ver assim

Ao redor de seu corpo gelado
Que emana tanto fogo quanto mil sóis
Sinto que aparecestes para todos da mesma forma
Fugir seria o mais correto, mas sei que me matarias
É isso o que seu sorriso destruidor me mostra que esperas
Deusa sublime que mostra o caminho da vida e da morte
Debruce e chore
Dessa vez encontrou uma alma sem vida e sem medo
Não a deixarei mais sozinha
Só consigo encontrar calor e me aquecer
em seu Coração de gelo.



(Marcel Joris)




----
Segundo poema do meu amigo Cell, como podem ver o moço tem muito talento... Adorei!




As luzes estão brilhando
A noite está bela
Mas o meu coração está sofrendo....
Não vejo a luz, não vejo a beleza
Somente dor e tristeza
Nessa noite especial
Conhecida por natal
Eu me sinto ainda mais só...
Lágrimas caem em meu rosto
A neve as transforma
Em cristais de dor...
Minhas mãos estão tão frias
Mas não vou aquecê-las
Elas apenas refletem
Minha alma gelada
Meu coração frio
Minha vida vazia....
Ouço ao longe um coral que diz
Hallelluia...
E eu aqui grito em silêncio
Onde está você?


Sei que estou feliz
ou então
ao menos alegre
quanto aos motivos disso
bem
acho que prefiro não saber
talvez porque tenha medo que 
ao saber o porque
essa minha felicidade boba
se desvaneça, pereça
porque sei que as melhores coisas da vida
não precisam de um motivo concreto
apenas são,assim mesmo
de um modo totalmente natural
ocasos da vida
por isso decidi:
vou deixar rolar...
apenas isso
e que dure o quanto durar
vou aproveitar cada segundo...

Meus pés estão cansados
o caminho foi longo
difícil e espinhoso
embora a caminhada tenha sido doce
amargamente doce..
tropecei inúmeras vezes
parei em alguns momentos
mas continuei afinal

porque caminhava? qual era o destino?
nunca soube na real... apenas segui
segui sem rumo, sem objetivo, sem destino
segui sem motivos, razões ou porques...
caminhei apenas...

houve momentos em que corri
me sentindo tão leve, quase voei
em outros no entanto
eu estaquei, pausei, quase desisti
mas contudo, persisti...

agora aqui estou
a jornada não chegou ao fim
é apenas uma parada
coisas da estrada
logo seguirei
andarei
porque o caminho nunca acaba
e quanto ao destino?! bem, isso é o que menos importa...

Me abrace
Aperte minha mão
Mas não me olhe nos olhos
Eu não suportaria
Pois você saberia
que estou mentindo
E eu não suportaria
Que você se magoasse
Não, não você
Eu não suportaria
Partir seu coração
Porque você é tão doce
Tão puro
Tão inocente
Não
Não olhe nos meus olhos
Prefiro esconder minhas lágrimas
Porque não quero ver as suas
Só me abrace
Que tudo ficará bem
Ouça minha voz
Estou cantando pra você
Me aperte em seus braços
Não me solte
Sinta meu coração
Que bate alucinado
Mas não olhe nos meus olhos
Por favor, não olhe...





















Vento vai...
Levando meu sussurro
Segredando poemas, promessas.
Murmúrios.
As palavras que não existem mais
Os sentimentos mais leais
As palavras mais letais.
Vento, me fala sincero...
Tudo o que eu mais espero
Enquanto sozinho,
Sem afeto
Meu corpo envelhece inquieto.
Vento, me faz um favor.
Traga-me veneno,
Amor.
Quero morrer lentamente.

(Nathy)

-------
mais um da minha irmãzinha do coração, sou uma fã declarada, admito, mas ela realmente escreve muito bem...




Hoje eu queria te ver, sentir sua mão, nos seus olhos me perder, hoje eu só queria você. Queria sua voz, queria seu cheiro, queria seu sorriso, seu jeito, seu beijo, o que nunca senti, hoje eu queria te ter, me entreter, queria você, só você. Hoje eu queria teus braços, tua dança, teu corpo, teu sentido, teu carinho, você, hoje eu só queria você. Queria tuas palavras, queria rir contigo, chorar minhas mágoas, nos teus ombros meu abrigo, hoje eu te queria, sim, queria você. Só por hoje fazer seu coração palpitar, sua boca gelar, fazer você suar, como eu queria, só por hoje te amar, assim do meu jeito, junto ao jeito seu, te fazer delirar assim como eu, hoje eu te queria, por inteiro, verdadeiro, tão certo, tão certeiro, hoje eu te queria, muito, muito. Só por hoje eu queria você e eu queria que você também me quisesse assim, pra você e me dissesse no ouvido que me queria, só eu, mesmo que só por hoje.




Kiss me out of the bearded barley.
Nightly, beside the green, green grass.
Swing, swing, swing the spinning step.

You wear those shoes and I will wear that dress.

Oh, kiss me beneath the milky twilight.
Lead me out on the moonlit floor.
Lift your open hand.
Strike up the band and make the fireflies dance,
silver moon's sparkling.
So kiss me.

Kiss me down by the broken tree house.
Swing me high upon its hanging tire.
Bring, bring, bring your flowered hat.
We'll take the trail marked on your father's map.

Oh, kiss me beneath the milky twilight.
Lead me out on the moonlit floor.
Lift your open hand.
Strike up the band and make the fireflies dance,
silver moon's sparkling.
So kiss me.

Oh, kiss me beneath the milky twilight.
Lead me out on the moonlit floor.
Lift your open hand.
Strike up the band and make the fireflies dance,
silver moon's sparkling.
So kiss me.

(Sixpence None The Richer)







Alguns minutos em silêncio
Centenas de emoções
Mil pensamentos por segundo
Infinitas vontades do acontecer
O medo, a solidão, a angústia a atormentar

Milhares de pessoas ao redor,
Nenhum rosto conhecido
Nenhuma pessoa para compartilhar
Morrendo em mim, me encontro agora
Minutos em mente, vejo a felicidade do mundo
A tristeza da existência

Vejo em mim apenas uma pessoa aos meus olhos
Vejo-me mil pessoas diferentes aos olhos de outrem
Quero sentir a vida
Os corações batendo,
Não me deixes mais na escuridão
As mentes interligadas
Em um só pensamento

Onde estará você? Oh mente,
Não sabe o que procuras?
Então porque se pergunta?
Vou dizer a você a resposta:
Morra tentando!

(Cell)

----------
o primeiro poema sempre é muito especial para um poeta, ao menos é o que penso, em geral dizem muito sobre nós, enfim, do que nos toca...
esse poema aqui é o primeiro de alguém, do meu amigo mais do que especial, o Cell... espero que seja o primeiro de muitos...


Passando aqui pra mostrar
o presentinho que recebi
da amiga Joyce Kelly 
que em simples palavras 
me encanta com seu jeito de blogar...

















Suas mãos
passeiam no meu corpo
Querendo decorar
a minha forma
Seus olhos me devoram
Me entrego
Nada nego
Sua boca segue
Pela minha e desce
Traçando linhas de fogo
Meu corpo em chamas
Explode em suas mãos
Desejo intenso
Entrega total
Sem medo
Sem limites
Somente Prazer
Eu
Me entregando
A você...

Vontade de escrever
Vontade de dizer, te dizer
Tudo aquilo que está entalado
Aquilo que cá dentro está trancado..
Expor meu coração
E falar pra você
Falar sobre o que eu penso, sinto, espero
Porque eu penso em você
Sinto sua falta
E te quero...
Ah sim, como eu te quero
E só espero que você perceba
Antes que seja tarde
Que eu te gosto de um tanto
Que parar pra medir seria bobagem
Perda de tempo...
Por que o que sinto aqui
Não tem tamanho
Acho que estou te amando
E como eu sei?
Bem
Ando sonhando, pensando, imaginando, respirando você
Em cada nanosegundo da vida que tenho
Em cada passo, palavra, gesto, sentido
Tudo o que eu mais quero é estar contigo
Pra sempre, mesmo que esse sempre seja só um momento
Mas esperar muito tempo eu não agüento
Pois se você não olhar pra mim
Se você não me aperceber
Será o meu fim
Sinto que vou morrer...
Não despreze meus sentimentos
Sei que às vezes aumento
Exagero, falo bobagens
Mas dessa vez é sério
Resolvi, tomei coragem
Quer saber a verdade? TE AMO!

Um dia feliz
o outro nem tanto
Um dia sorrindo
o outro em prantos...
Quanta incoerência
quanta inexatidão
Ser tão volúvel,
que problema insolúvel!


Tanto querer
Nenhum poder
Tantos sonhos
Mas nenhum plano
Tanto pensar
Tão pouco agir
Só vive a buscar
um modo de ser feliz!


Ela só espera
Não corre atrás
Não coopera
Não se satisfaz
Se lamenta
E chora
Mas nunca tenta
Sempre ignora
As chances que a vida lhe dá
E ainda diz que a mesma é tão má...


O que ela quer?
Nem mesmo ela sabe...
Apenas segue
Em busca de saber...


As vezes no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordada
Juntando o antes, o agora e o depois


Porque você me deixa tão solta?
Porque você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinha...


Não sou nem quero ser sua dona
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus segredos e planos secretos
Só abro pra você, mais ninguém


Porque você me esquece e some?
E se eu me interessar por alguém?
E se ele de repente me ganha?


Quando a gente gosta
É claro que a gente cuida
Fala que me ama
Só que é da boca pra fora


Ou você me engana
Ou não está maduro
Onde está você agora?


-- Caetano Veloso (modificada)




Escrevo
Loucamente
Quero tanto
Me livrar dessas palavras
Não faço versos
Não faço rimas
Apenas escrevo
E enlouqueço





Falo de você
Falo das coisas que sei
Falo de mim também
Das coisas que desconfio
Das que foram e das que virão
Mas principalmente
Daquelas que nunca serão
Escrevo
E enlouqueço
Eu tento
Mas não esqueço
E escrevo, e escrevo
Palavras, tão belas
Tão tristes
Tão feias
Tantas mentiras
Tantas verdades
Tanta inocência
Tanta maldade
E não paro
E não paro
Escrevo
E você não sabe
Que é por você
É pra você
Que escrevo
Que enlouqueço
Que me entrego
A cada frase
A cada palavra
A cada tecla que aperto
É tudo seu
Assim como eu...



Don't hold yourself like that

You'll hurt your knees
I kissed your mouth and back
But that's all I need
Don't build your world around volcanoes melt you down

What I am to you is not real
What I am to you you do not need
What I am to you is not what you mean to me
You give me miles and miles of mountains
And I'll ask for the sea

Don't throw yourself like that
In front of me
I kissed your mouth your back
Is that all you need?
Don't drag my love around volcanoes melt me down

What I am to you is not real
What I am to you you do not need
What I am to you is not what you mean to me
You give me miles and miles of mountains
And I'll ask for 
What I give to you
Is just what I'm going through
This is nothing new
No no just another phase of finding what I really need
Is what makes me bleed
And like a new disease she's still too young to treat
Volcanoes melt me down
She's still too young
I kissed your mouth
You do not need me

(Damien Rice)













Não quero amar
Amor sufoca, prende
Eu quero ser livre
Totalmente independente
Seu olhar me faz promessas
Diz que me quer
Mas eu fujo dele
Não quero saber
Quero abrir minhas asas
Necessito do ar
Que você não tente me prender
Isso não vou aceitar
Sou um pássaro livre
Meu destino é voar!




Frenesi
De vida
De morte
Nesse momento tanto faz
Eletricidade no ar
Corpos em movimento
Pele, toques
Olhar
O seu no meu
Vamos dançar?

Doce amado
Lembra aquele tempo
Em que éramos nós
Meu querido
Lembra-se?

Haviam flores no jardim
E você as trazia pra mim
Ainda sinto o perfume delas...





Doce amado
Lembra aquelas tardes
Eu e você e a doce brisa
Cabelos ao vento
E você em meus pensamentos
Lembra-se?


Oh, doce amado
E aqueles momentos
Em que eu chorei
Motivos tantos
E você me abraçava
Ah, meu querido
Como eu te amava...
 

Ah, doce amado
Lembra-se daquele dia...
...chovia e eu não sabia
pela última vez...você sorria
...seus olhos fecharam.... quem diria...



Achei que dormias...



Ando meio desligado
Eu nem sinto
Meus pés no chão
Olho, e não vejo nada
Eu só penso
Se você me quer...







Eu nem vejo a hora
De lhe dizer
Aquilo tudo
Que eu decorei
E depois do beijo
Que eu já sonhei
Você vai sentir
Mas por favor
Não me leve a mal
Eu só quero
Que você me queira
Não me leve a mal
Não leve a mal...
 



 













Eu só quero
Que você me queira...
Não leve a mal


(Pato Fu)















Faz-me tua
Para que assim
Eu me encontre
No calor dos seus braços
No arrepio da sua pele


Toque-me lentamente
Traçando mapas em meu corpo
Descubra os caminhos
que me levam até você
Seja meu guia
Para que assim eu possa
Te encontrar

Quem és tu que me lês? És o meu segredo ou sou eu o teu?

Clarice Lispector

Carinho

Carinho
da amiga Dandara

da amiga Srtª Bêêh

recebido da Joyce Kelly

da Joyce Kelly

Da Pat...

De A dangerous mind (1 dos 4)

de A Dangerous Mind e Somewere

de A Dangerous Mind

de A Dangerous Mind
Ocorreu um erro neste gadget

Por aqui ficaram:

Todos os textos aqui expostos e que não possuem assinatura são de autoria da proprietária do blog, os demais encontram-se devidamente referenciados. As imagens podem ser encontradas no google images. Por favor, não plagie, respeite os autores, crie suas próprias estórias. Obrigada pela visita, voltem sempre! bjus da kirah^^

hoje (clique vídeo)

hoje (clique vídeo)
Talvez eu já saiba a resposta...

Mo Foo