Doce Luar

Versos e mensagens, minhas ou de outrém...



Eterna criança
que nunca se cansa
balança e balança
num passo de dança



Pequena  criança
com suas curtas tranças
balança e balança
e nunca se cansa


Criança, Criança
doces lembranças
de eterna infância
e uma incrível ânsia 
de ser feliz


Pobre criança
um dia você 
cresceu, se perdeu
você, agora eu













Mas a lembrança
daquela criança
que teve infância
me diz que a dança
não precisa acabar


De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

(Vinícius de Moraes)



 

















-- esse lindo poema do eterno Vinícius, assim como as imagens,  foi recomendado pela amiga Moniqui, e o que posso dizer: ela tem bom gosto...




Somos feitos de lembranças,
De um passado nem sempre feliz.
Alguns como eternas crianças,
Levam a vida que sempre quis...

O mundo nem sempre é cheio de cores.
Tão cheio de decisões e vidas,
Acaba entrelaçando amores,
E ainda mais despedidas.

A vida é como um livro, uma historia.
Gravamos as palavras em nossa alma,
Entre saudades... recapitulamos nossa memória...
E lá se vai a nossa calma.

Vivemos do amanhã...
Deixamos o hoje sem anotações...
Apenas um página em branco,
Sem descobertas...sem emoções

Algumas pessoas vão e vem
Outras são eternamente gravadas
Dentro daquilo que as convém...
Serão eternamente lembradas

Queria escrever ao seu lado,
Na certeza do incerto...
Escrever linha por linha...
Quão bom é ter você por perto.

(Felipe Araújo)


-- mais um amigo, mais um poeta e como todos os poetas... mais um romântico... --

 
Hoje eu preciso te encontrar de qualquer jeito
Nem que seja só pra te levar pra casa
Depois de um dia normal
Olhar teus olhos de promessas fáceis
E te beijar a boca de um jeito que te faça rir

Hoje eu preciso te abraçar
Sentir teu cheiro de roupa limpa
Pra esquecer os meus anseios e dormir em paz

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria
Em estar vivo

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar
Me dizendo que eu sou causador da tua insônia
Que eu faço tudo errado sempre

Hoje preciso de você
Com qualquer humor, com qualquer sorriso
Hoje só tua presença
Vai me deixar feliz
Só hoje


(Jota Quest)






O que há em mim é sobretudo cansaço —
Não disto nem daquilo,
Nem sequer de tudo ou de nada:
Cansaço assim mesmo, ele mesmo,
Cansaço.

A sutileza das sensações inúteis,
As paixões violentas por coisa nenhuma,
Os amores intensos por o suposto em alguém,
Essas coisas todas —
Essas e o que falta nelas eternamente —;
Tudo isso faz um cansaço,
Este cansaço,
Cansaço.

Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada —
Três tipos de idealistas, e eu nenhum deles:
Porque eu amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque quero tudo, ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...

E o resultado?
Para eles a vida vivida ou sonhada,
Para eles o sonho sonhado ou vivido,
Para eles a média entre tudo e nada, isto é, isto...
Para mim só um grande, um profundo,
E, ah com que felicidade infecundo, cansaço,
Um supremíssimo cansaço,
Íssimno, íssimo, íssimo,
Cansaço...
(Álvares de Campos)

 


Você me pediu uma chance e eu nem sei
se sorri ou se chorei...
Você quis um começo e eu pensei
que começos não eram pra mim...
Você acredita no tempo e eu
apenas em Deus...
Se o tempo tem tanta magia
quem sabe um dia...
vc  me esqueça.
Só peço que me escutes
antes que alguém se machuque...



























 Se o dia foi tenso, se eu me chateei, se houve decepções... nada disso importa mais, o que sei é que choveu, e a chuva me faz feliz!!! assim como você.




Cabelos ao vento, riso na face

Os pés que correm, parecem voar

Suave como flor, leve como pluma

Na dança da selva, girando sem parar


Um grito se ouve. Nada a temer...

Coração selvagem, alma pura

Nada lhe prende...

É livre

Simplesmente.


"As flores caem no chão gelado
mas não conheço a falta que faz
a normalidade
enquanto o vento levanta os meus cabelos 
as lágrimas correm
tão rápidas
e não acompanham meu coração
que bate tão lentamente
sinto um suspirar baixo vindo de dentro    
de dentro de mim
e por um instante
vejo sua imagem
quando você sorri pra mim
vindo do passado
pra me buscar
te sinto tão perto





gostaria de ser capaz de te tocar  
com as minhas mãos fora das luvas 
parecem que vão congelar
mas se eu puder te tocar
tudo bem pra mim
se você puder sorrir outra vez
tudo bem pra mim
se puder sussurrar meu nome
mais uma vez
tudo bem
tudo bem
se puder me ouvir...
sussurrando seu nome, a certeza de que só pode ser um sonho
um capricho do nosso próprio espírito."
 
        (Nathy Nice)







-- Admito, tenho maior orgulho dos meus amigos, razões não me faltam, esse poema lindo aí em cima foi feito pela minha irmãzinha do coração, puro talento essa menina...          

É em dias como hoje quando me sinto meio assim, um tanto triste, quase feliz, que a música me encontra, me diz coisas...
Eu escuto, compreendo, descubro sentidos ocultos, enfim, procuro, fico assim, em busca do Nirvana...
E por falar neles... é melhor deixá-los falar por si...





ops, acho que não era bem isso.
Fato: sábados são dias estranhos....


 
The Man Who Sold The World  

We passed upon the stairs, we spoke in was and when
Although I wasn't there, he said I was his friend
Which came as a surprise I spoke into his eyes
I thought you died alone, a long long time ago

Oh no, not me
we never lost control
You're face to face
With The Man Who Sold The World

I laughed and shook his hand, and made my way back home
I searched for form and land, for years and years I roamed
I gazed a gazely stare, we walked a million hills
I must have died alone, a long long time ago

Who knows? not me
I never lost control
You're face to face
With the Man who Sold the World

Who knows? not me
We never lost control
You're face to face
With the Man who Sold the World

(Nirvana)


Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos, a alegria como quando se sente a garganta um pouco seca e se vê que, por admiração, se estava de boca entreaberta: eles respiravam de antemão o ar que estava à frente, e ter esta sede era a própria água deles. Andavam por ruas e ruas falando e rindo, falavam e riam para dar matéria peso à levíssima embriaguez que era a alegria da sede deles. Por causa de carros e pessoas, às vezes eles se tocavam, e ao toque - a sede é a graça, mas as águas são uma beleza de escuras - e ao toque brilhava o brilho da água deles, a boca ficando um pouco mais seca de admiração. Como eles admiravam estarem juntos! Até que tudo se transformou em não. Tudo se transformou em não quando eles quiseram essa mesma alegria deles. Então a grande dança dos erros. O cerimonial das palavras desacertadas. Ele procurava e não via, ela não via que ele não vira, ela que, estava ali, no entanto. No entanto ele que estava ali. Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram. Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios. Tudo, tudo por não estarem mais distraídos. 

(Clarice Lispector)

Quem és tu que me lês? És o meu segredo ou sou eu o teu?

Clarice Lispector

Carinho

Carinho
da amiga Dandara

da amiga Srtª Bêêh

recebido da Joyce Kelly

da Joyce Kelly

Da Pat...

De A dangerous mind (1 dos 4)

de A Dangerous Mind e Somewere

de A Dangerous Mind

de A Dangerous Mind
Ocorreu um erro neste gadget

Por aqui ficaram:

Todos os textos aqui expostos e que não possuem assinatura são de autoria da proprietária do blog, os demais encontram-se devidamente referenciados. As imagens podem ser encontradas no google images. Por favor, não plagie, respeite os autores, crie suas próprias estórias. Obrigada pela visita, voltem sempre! bjus da kirah^^

hoje (clique vídeo)

hoje (clique vídeo)
Talvez eu já saiba a resposta...

Mo Foo